Giacomo Liberatore - 6

1 - Nascido na Itália, educado no Brasil ...

2 - A difícil vida na Itália durante a II Guerra

3 - Grandes mudanças aos 11 anos

4 - A construção da carreira

5 - Viagem pelo interior do Brasil, cinco ataques de malária

6 - Uma nova família

Noivo quando partiu para a Amazônia, cerca de três meses depois da chegada em Belém, ao retornar do Acre, Giacomo recebeu uma carta da noiva terminando o compromisso. Depois, ela quis reatar, mas era tarde. Por causa de uma amazonense, Giacomo pediu para ser transferido de volta a Porto Alegre, em 1978, recomeçando a carreira como geólogo, depois de ter estado no posto máximo da empresa. “Dali, só poderia subir e ser diretor no Rio, mas deixei tudo”, conta ele, “para não arrumar confusão”.
Em 1979, foi mandado para Santa Catarina. “Vim para ficar seis meses e to aqui há 32 anos”, brinca. Aqui ele conheceu a esposa, gaúcha e, segundo ele, “uma mulher do mundo”. Giacomo conclui afirmando: “encontrei a mulher que eu queria, que eu precisava. Somos eternamente apaixonados”.

7 - Uma história de vida ligada à imigração

8 - “Coisas que não se pode esquecer”

Back to top