Eterna e bela Roma

Por Iracema Pamplona Genecco - agosto 2009

A três horas de vôo de Londres, e pouco mais de uma hora de Paris, os apreciadores da arte encontram, em Roma, um verdadeiro museu a céu aberto, com registros de várias épocas e testemunhos de mais de mil anos de história da humanidade, especialmente, das raízes da cultura ocidental. Ruínas dos tempos anteriores ao cristianismo, ruas medievais, palácios renascentistas, arte barroca e modernas construções dividem o mesmo espaço. Felizmente, é uma das melhores cidades para se fazer longas caminhadas, permitindo conhecer, a pé, a maior parte das suas atrações, rodeadas de fontes, monumentos e praças.

Piazza di Spagna: foto di Isadora MoreiraPiazza di Spagna: foto di Isadora Moreira
Começar pelos pontos turísticos mais procurados na parte da manhã, garante menos espera em filas e deixa tardes e noites livres para os passeios, as compras, a diversão. Conhecer o Fórum Romano, o Coliseu, visitar o Vaticano (Basílica de São Pedro, cujo domo foi projetado por Michelangelo) e seus museus (obras-primas da arte clássica e renascentista, esculturas, as salas de Rafael e a Capela Sistina), exigem algumas horas em cada um deles. É bom estar preparado para caminhar bastante e subir muitos degraus.
Viale dei Fori Imperiali: foto de Isadora MoreiraViale dei Fori Imperiali: foto de Isadora MoreiraPara uma manhã de sábado, um programa imperdível é o pitoresco mercado de flores e frutas do "Campo dei Fiori, no qual romanos e turistas misturam-se entre as barracas espalhadas em torno da estátua de Giordano Bruno. Este mesmo lugar, à noite, é um dos mais procurados para a pré-balada, bares e restaurantes próximos ficam repletos e agitados. Os jovens, principalmente, marcam encontros ali.
Entre as dezenas de praças de Roma, é possível fazer um roteiro interessante percorrendo a Piazza Navona (com suas fontes, as estátuas de Bernini e o Palácio Pamphili, sede da Embaixada Brasileira); a Piazza della Rotonda, onde fica o Pantheon (o interior desse antigo templo romano, depois transformado em igreja, é esplendoroso); a Piazza di Spagna (em cujas escadarias apinham-se milhares de turistas) e, claro, a Fontana di Trevi (cenário de vários filmes, como A Dolce Vita). O local reúne, até a madrugada, centenas de turistas que disputam cada milímetro dos degraus em torno para fazer um lanche, tirar fotos, jogar uma moeda no tanque da fonte e assegurar a sorte de voltar a Roma um dia..
Um passeio pela Via Condotti é a programação perfeita para quem gosta de circular entre dezenas de lojas elegantes, butiques e casas de estilistas renomados, pois ali estão sediadas Giorgio Armani, Valentino, Dolce & Gabbana, Prada, Gucci e a joalheria Bulgari. Quer mais? Siga até o Café Greco, inaugurado em 1760, e que manteve entre seus fregueses artistas, nobres e a realeza, cujos retratos, em meio a obras de arte, integram a decoração dos salões. Não se surpreenda com o preço que, mesmo para um café expresso, condiz com o ambiente.
Bocca della verità: foto de Isadora MoreiraBocca della verità: foto de Isadora MoreiraUma opção menos sofisticada é um passeio às margens do rio Tibre (Tevere). Por uma de suas pontes, chega-se ao Trastevere (do outro lado do Tibre) com suas ruas medievais. O bairro, antes simples, vem atraindo restaurantes, casas noturnas, lojas e butiques da moda. Do alto do Monte Gianicolo, tem-se uma visão panorâmica de Roma e, neste local, dois imponentes monumentos homenageiam os heróis Garibaldi e Anita (enterrada sob a estátua).
Em termos de gastronomia, restaurantes caros, cafeterias pizzarias e até fast-food fazem parte das opções. De acordo com a disponibilidade financeira, é possível fazer uma refeição entre 10 a 30 euros, ou mais. Pedir o vinho da casa é, quase sempre, uma agradável surpresa. O Café Giolitti, de ambientação inspirada na Belle Époque, serve aquele que é considerado um dos melhores sorvetes de Roma. Permanecer nas imediações constitui um espetáculo à parte: pode-se ver os mais variados tipos humanos saírem, lambendo seus sorvetes transformados em crianças de todas as idades, sejam freiras, vovozinhas, executivos apressados ou juízes.
A programação noturna pode ser preenchida com espetáculos ao ar livre (ópera, cinema, teatro e música são apresentados em áreas abertas até o fim de setembro). A passeggiata (passeio ao final da tarde) pelas ruas é um costume dos moradores locais. Para aqueles que preferem prolongar a noite, há espetáculos de teatro, bares e nighclubes, sobre os quais é importante informar-se previamente. Os promotores costumam distribuir folhetos sobre esses eventos nos pontos turísticos mais movimentados.
Endereços úteis:
www.comune.roma.it
www.enit.it

Back to top