Adote uma ovelha: um exemplo a ser seguido

Por Sandro Incurvati - maio de 2008

A região do Abruzzo, área montanhosa de grande importância ambiental, situada no Centro da Itália, tem sua base econômica apoiada na criação de ovelhas para a produção de queijo, lã e carne.
Nunzio Marcelli (foto New York Post)Nunzio Marcelli (foto New York Post)A realidade econômica e social desta região vem sendo tratada, ao longo dos últimos decênios, em condições de subjugação ao sistema capitalista ao ponto de comprometer o desempenho produtivo desta atividade.
Entre os reflexos negativos da globalização, está a situação dos jovens que, não vendo possibilidade de inserimento no mercado do trabalho, abandonam seus vilarejos de origem em busca de melhores oportunidades em cidades maiores.
Além disso, sendo os pastores os principais guardas das áreas de montanha, com a extinção desta atividade aumentariam os riscos de incêndios, desequilíbrio hidro-geológico e perda da biodiversidade.
No pequeno vilarejo de Anversa degli Abruzzi, situado no coração das montanhas, perto do Parque Nacional do Abruzzo, há alguns anos a Cooperativa ASCA Bioagriturismo “La Porta dei Parchi” está propondo uma iniciativa muito interessante, cujo objetivo é sensibilizar as pessoas perante o grave problema de abandono das áreas e trabalhos rurais, tentando inverter esta tendência, apoiando os criadores de ovelhas.
Esta iniciativa “Adotta una pecora, difendi la natura” (adote uma ovelha, defenda a natureza) consiste em adotar, à distância, uma ovelha que, em troca das despesas de criação, pode garantir além dos produtos (carne, leite, queijo, lã, fertilizante) a contribuição na preservação do território.
Quem adota uma “pecora” vai gastar menos porque compra, diretamente na fonte, produtos garantidos e de ótima qualidade, além de ajudar a manter a cultura secular de criação de ovelhas, e contribuir na preservação do ambiente.
Joelcio Fronza, agrônomo de Rio do Sul de descendência italiana e membro da Associação dos Agricultores Biológicos de Santa Catarina, recentemente participou de um encontro acadêmico no Abruzzo onde representou o Brasil junto com o Profº Lúcio José Botelho, Reitor da UFSC, e Maria Cristina Prando, da Associação Abruzzesa do Rio Grande do Sul.

Joelcio comentou assim este projeto:

“No início de dezembro de 2007 tive a oportunidade de conhecer o projeto “Adotta una pecora”, do produtor e empresário Nunzio e sua irmã Bianca, localizado em Anversa, um pequeno e lindo vilarejo.
O projeto consiste na possibilidade de adoção de uma ovelha, por parte de qualquer pessoa do Abruzzo, da Itália e até mesmo do exterior. O interessado paga um valor pré-determinado e adiantado à propriedade que, com este recurso, investe na ovinocultura. Uma vez nascido o borrego, o investidor recebe informações freqüentes da situação do seu animalzinho ou de seu plantel adotado. Quando os cordeiros ou as ovelhas estão prontos para o abate o investidor recebe em produto, na sua casa, o correspondente ao dinheiro investido. Uma idéia muito original que aumentou consideravelmente a receita da propriedade dos irmãos, além de manter viva esta atividade milenar nesta região da Itália. O projeto deu tão certo que foi e está sendo notícia nos jornais de toda a Europa, chegando ao ponto de ser reverenciado pelo Ministro da Agricultura da Itália. A qualidade dos produtos também contribui para o sucesso do empreendimento. Os queijos, por exemplo, são premiados internacionalmente, desbancando tradicionais produtores franceses. A propriedade está aberta à visitação e tem um pequeno restaurante onde poderão ser degustados seus produtos. Está aberta também a estagiários nas áreas de Agronomia e Veterinária.
Portanto, quando você estiver na região do Abruzzo, ou mesmo em Roma, não deixe de conhecer esta iniciativa, que é um exemplo de administração, agricultura, turismo e simpatia por parte dos proprietários”.

Para mais informações clique aqui.

Back to top