A arte naif de Tolentino Santanna

Maio de 2013                          volte à página anterior

O simpático e alegre artista plástico, Tolentino Santanna Neto, com 45 anos de idade, mas íntimo desde muito cedo, de suas telas de cores vibrantes e traços primitivos, que valorizam a nossa cultura açoriana, relata-nos um pouco de sua trajetória no mundo da arte naif.

por Pedro Bersi - Jornal Mercado Público de Florianópolis, ano 2, número 15

À primeira vista, a arte de Tolentino Santanna Neto sugere - visto o cromatismo que reveste - um entrelaçar de tons em nuances primários: luz impregnada de um ar marítimo-campestre, casinhas à beira mar; pescadores, crianças brincando pelas ruas, pelos quintais, voando como pandorgas; ao fundo moradias distantes pontuando o horizonte de relevo acentuado a revelar a sensibilidade saudosista do artista e sua 'visão-mundo' do quadro social que, no presente tempo, o circunda. Na caracterização das personagens praieiras, vê-se o traço original de um pintor interiorano, que nasceu em Orleans, Santa Catarina e hoje mora na Capital do Estado. Suas obras são interpretações pictóricas, rememorações de infância, da vida simples do povo do litoral e também dos que vivem mais para o interior, nas roças, nas fazendas não muito distantes do mar. Nas manifestações do cotidiano da aldeia-pólis, Tolentino apresenta sincretismos muitos, fazendo da cultura praiera catarinense coisa de grande respeito e admiração.

Clique nas imagens para ampliá-las

Back to top